Por: Mesquita

Foto destaque

Primeiros Socorros
As fases do socorro




AVALIAÇÃO DO AMBIENTE

A primeira atitude a ser tomada no local do acidente é avaliar os riscos que possam colocar em perigo a pessoa prestadora dos primeiros socorros. Se houver algum perigo em potencial, deve-se aguardar a chegada do socorro especializado. Nesta fase, verifica-se também a provável causa do acidente, o número de vítimas e a gravidade das mesmas e todas as outras informações que possam ser úteis para a notificação do acidente. Proceda da seguinte forma:

Mantenha a vítima deitada, em posição confortável, até certificar-se de que a lesão não tem gravidade;
Investigue particularmente a existência de hemorragia, envenenamento, parada respiratória, ferimentos, queimaduras e fraturas;
Dê prioridade ao atendimento dos casos de hemorragia abundante, inconsciência, parada cardiorrespiratória, estado de choque e envenenamento, pois EXIGEM SOCORRO IMEDIATO.
Verifique se há lesão na cabeça, quando o acidentado estiver inconsciente ou semiconsciente. Havendo hemorragia por um ou ambos os ouvidos, ou pelo nariz, PENSE em fratura de crânio;
Não dê líquidos a pessoas inconscientes;
Recolha, em caso de amputação, a parte seccionada, envolva-a em um pano limpo para entrega IMEDIATA ao médico;
Certifique-se de que qualquer providência a ser tomada não venha a agravar o estado da vítima;
Chame o médico ou transporte a vítima, SE NECESSÁRIO. Forneça as seguintes informações:
Local, horário e condições em que a vítima foi encontrada;

Quais os Primeiros Socorros a ela prestados.


Inspire confiança - EVITE O PÂNICO
Comunique a ocorrência a autoridade policial local.
SOLICITAÇÃO DE AUXíLIO

Solicite se possível a outra pessoa que peça auxílio chamando o socorro especializado comunicando a provável causa do acidente, o número de vítimas, a gravidade das mesmas e todas as outras informações que ele precisar. Estas informações você terá obtido anteriormente, durante a fase de avaliação do ambiente.

SINALIZAÇÃO

Efetuar, sempre que necessário, a sinalização do local para evitar a ocorrência de novos acidentes. Pode ser feita com cones, fita zebrada, ou qualquer objeto que chame a atenção de outras pessoas para o cuidado com o local, na falta destes recursos, pode-se pedir para que uma pessoa fique sinalizando a uma certa distância.

ATENDIMENTO

Ao iniciar o atendimento, deve-se ter em mente o que fazer e o que não fazer. Manter o autocontrole é imprescindível nesta fase. Não minta para a vítima. Procure expressar segurança e confiança no que faz. No atendimento, a pessoa que estiver prestando os primeiros socorros deve realizar os dois exames básicos: exame primário e exame secundário.

EXAME PRIMÁRIO

O exame primário consiste em verificar:

se a vítima está consciente;
se a vítima está respirando;
se as vias aéreas estão desobstruídas;
se a vítima apresenta pulso.
Este exame deve ser feito em 2 minutos ou menos. Se a vítima não estiver respirando, mas apresentar batimentos cardíacos (pulso), iniciar a respiração artificial conforme o procedimento. Caso não haja sinal de pulso, iniciar a RCP segundo o procedimento.

EXAME SECUNDÁRIO

Consiste na verificação de:

Avaliar o nível de consciência.

Escala de Coma de Glasgow.

Avaliar os 4 sinais vitais:

pulso.
respiração.
pressão arterial (PA), quando possível.
temperatura.
Avaliar os 3 Sinais Diagnósticos:

tamanho das pupilas;
enchimento capilar (perfusão sangüíneas das extremidades);
cor da pele.
Realizar o exame físico na vítima:

pescoço;
cabeça;
tórax;
abdômen;
pelve;
membros Inferiores;
membros Superiores;
dorso.
O que o prestador de primeiros socorros deve observar ao avaliar o pulso e a respiração

Pulso:

Freqüência: É aferida em batimentos por minuto, podendo ser normal, lenta ou rápida.
Ritmo: É verificado através do intervalo entre um batimento e outro. Pode ser regular ou irregular.
Intensidade: É avaliada através da força da pulsação. Pode ser cheio (quando o pulso é forte) ou fino (quando o pulso é fraco).
Respiração:

Freqüência: É aferida em respirações por minuto, podendo ser: normal, lenta ou rápida.
Ritmo: É verificado através do intervalo entre uma respiração e outra, podendo ser regular ou irregular.
Profundidade: Deve-se verificar se a respiração é profunda ou superficial.
Autores:
Prof. Elzio Teobaldo da Silveira CREF 000230-G/DF
Prof. Alexandre Fachetti Vaillant Moulin CREF 000008-G/DF - Conselheiros do Conselho Regional de Educação Física da 7º Região.
Palestrantes sobre Socorros e Urgências em Atividade Física