Por: Professor Mesquita

Foto destaque
Para que possamos entender as relaes entre aprender e ensinar futebol, creio ser necessrio refletir um pouco a respeito do conceito de pedagogia.

A pedagogia no se refere nica e exclusivamente ao modo como se ensina. Nas palavras de Jos Carlos Libneo, a rea do conhecimento e o objeto de investigao da pedagogia superam as perspectivas metodolgicas e procedimentais, porm no as excluem.

Assim sendo, a pedagogia, na perspectiva de Libneo: um campo de conhecimento sobre a problemtica educativa na sua totalidade e historicidade e, ao mesmo tempo, uma diretriz orientadora da ao educativa. O pedaggico refere-se a finalidades da ao educativa, implicando objetivos sociopolticos a partir dos quais se estabelecem formas organizativas e metodolgicas da ao educativa.

Nesta perspectiva a pedagogia uma reflexo sobre todo o contexto que envolve a ao educativa, coadunando numa efetiva prtica de interveno. Uma interveno comprometida, intencional, dirigida, organizada e ciente de suas responsabilidades educacionais.

Ela se constitui como teoria prtica e prtica terica, designando ao professor as responsabilidades de um pedagogo, as quais podem se resumir em dar-lhe um tratamento, uma direo pedaggica (intencional, consciente, organizada), transformando os conhecimentos produzidos pelos homens, em meio as suas constantes interaes, em matria para ser aprendida.

Com isso, pretende-se compreender que a pedagogia uma teoria que se estrutura a partir de uma ao, elaborada em funo de exigncias prticas, interessadas na execuo da ao e suas conseqncias.

Nesta perspectiva, para se ensinar qualquer contedo no basta ser um super especialista, ou seja, ter um conhecimento muito aprofundado sobre uma matria especificamente. preciso que sua ao seja pedaggica.

Novamente, Jos Carlos Libneo esclarece, por meio de um exemplo ilustrativo: ... para ensinar Matemtica no basta ser um bom especialista em Matemtica. preciso que o professor agregue o pedaggico-didtico, ou seja: que contedos da Matemtica-cincia devem constituir-se na Matemtica-matria de ensino visando formao dos alunos? A que objetivos sociopolticos serve o conhecimento escolar da Matemtica? Que representaes, atitudes, convices so formadas em cima do conhecimento matemtico? Ou, que habilidades, hbitos, mtodos, modos de agir, ligados a essa matria, podem auxiliar os alunos a agirem praticamente diante de situaes concretas da vida? Que seqncia de contedos mais adequada aprendizagem dos alunos, considerando sua idade, nvel de escolarizao, conceitos j disponveis dos alunos etc?.

Pode-se sintetizar que a palavra pedagogia est conectada para alm da simples conduo ao saber, ao conhecimento sistematizado, e para isto se utiliza de vrias formas, meios, mtodos para atingir o seu fim.

Portanto, a pedagogia vincula-se s concepes metodolgicas, construdas e refletidas relativas ao como ensinar - a partir dos estudos de como se aprende; o que ensinar - a partir das necessidades de quem aprende; para quem ensinar - a partir de um diagnstico no enviesado; porque ensinar - a partir do contexto de quem aprende.

Logo, se se entende a pedagogia como um caminho refletido que leva construo de conhecimentos, por meio de ambientes de aprendizagens, evidente que, quando o contedo futebol, deve-se pedagogiz-lo.

Ao se pedagogizar o futebol, no estou dizendo que ensin-lo seja uma simples transmisso de conhecimento ou reproduo de gestos, em que o aluno se configure em apenas um receptor passivo, acrtico, inocente e indefeso.

Pedagogizar o futebol deve ser entendido como uma interveno desenvolvida dentro de um processo de ensino e aprendizagem, que leve em conta o sujeito aluno, criando possibilidades para a construo desse conhecimento, inserindo e fazendo interagir o que o aluno j sabe, com o novo, ampliando-se assim, sua bagagem cultural e, respectivamente sua inteligncia de corpo inteiro.

A aula, ou mesmo o treino, de futebol deve permitir a troca, a interao, sujeito (aluno) - meio (turma; equipe) - futebol (esporte). Ou melhor, nas palavras de Paulo Freire: ...o respeito devido dignidade do educando no me permite subestimar, pior ainda, zombar do saber que ele traz consigo para a escola.

Ao se pensar o educando (aluno/atleta de futebol) na sua totalidade (corpo-alma-natureza-sociedade), inserido nas perspectivas do paradigma emergente, o aprender futebol, ou outro esporte qualquer, necessita se configurar um desafio, uma busca desenfreada do superar-se - do ser mais; do transcender. Como filosofa Manuel Srgio: o desporto h-de ser uma actividade instauradora e promotora de valores. Na prtica desportiva, o Homem tem de aprender a ser mais Homem.

Carregar o aluno apenas de conhecimentos tcnicos, sem uma correspondente reflexo, no conceito de Paulo Freire, uma forma de ensino bancrio, depositrio, aplicado no esporte (Futebol). Pois estamos apenas adestrando - eufemisticamente se retratando -, treinando o aluno/jogador no desempenho de destrezas, sem permitir-lhe o desenvolvimento e a assuno de uma capacidade crtica sobre o contedo desenvolvido.

Tendo o aluno/jogador como centro do processo, percebe-se que ele se transforma, assimilando conhecimentos, ao mesmo tempo em que transforma o seu tempo. O educando (aluno/jogador de futebol) , concomitantemente, impregnado e impregnante de uma poca.

Emprestando as palavras de Paulo Freire: por isso que transformar a experincia educativa em puro treinamento tcnico amesquinhar o que h de fundamentalmente humano no exerccio educativo: o seu carter formador. Se se respeita a natureza do ser humano, o ensino dos contedos no pode dar-se alheio formao moral do educando. Educar substantivamente formar.

E formar, como j mencionamos, muito mais que capacitar um aluno/jogador com gestos tcnicos. Porque, assim fazendo, estar-se- reproduzindo uma sociedade, ou melhor, um esporte, sem transform-lo, sem permitir que novos esportistas venham a reconfigur-lo (ressignific-lo) no futuro.

Portanto, o ensino intencional ao criar condies, por meio de ambientes de aprendizagem, para que o aluno/jogador de futebol pense e assimile criticamente o jogo, oportuniza o manifestar de comportamentos que so frutos do seu entendimento, do seu aprendizado, fazendo com que seu jogo no seja apenas a cpia e reproduo de performances existentes.

Esta a funo tanto do professor de Educao Fsica (ao trabalhar o mdulo futebol) quando do professor/treinador de futebol (na iniciao, na especializao e na profissionalizao), ou seja, assumir as responsabilidades que recaem sobre o pedagogo do esporte (independente do cenrio local de interveno.

Redigido por Alcides Scaglia
Retirado do site cidadedofutebol.com.br