Por: Professor Mesquita

Foto destaque
Este pequeno estudo foi extraído do capítulo 13, "A Liderança como Trabalho", do livro O Melhor de Peter Druker, Editora Nobel.

 

De acordo com o autor a verdadeira liderança é bem diferente da forma com que muitos escritores têm tratado. Drucker diz que ela tem pouco haver com qualidades de liderança e menos ainda com carisma. "A liderança é algo comum, desinteressante e nada romântico. Sua essência é o desempenho".

 

A respeito do carisma, Peter Drucker enfatiza que os líderes mais carismáticos do século XX, foi um trio "parada dura", composto por Stalin, Hitler e Mao. Todos sabem quantos males e sofrimentos esses carismáticos líderes inflingiram à humanidade. Sendo assim, a liderança eficaz não depende do carisma. O carisma, por si só, desfaz os líderes, tornando-os inflexíveis, incapazes de mudar, convencendo-os ilusioriamente das suas infalibilidades.

 

O autor diz que o líder mais carismático (até então) que ocupou a Casa Branca foi John F. Kennedy, no entanto, poucos presidentes fizeram tão pouco.

 

Já que a verdadeira liderança não está pautada em traços comuns de personalidade e muito menos em carisma, como alcançar uma influência positiva nas pessoas e ter resultados efetivos?

 

1. Liderança é o próprio TRABALHO - veja o que diz o autor:

 

"A base da liderança eficaz é identificar qual a missão da organização, definindo-a e estabelecendo-a com clareza e visibilidade. O líder estabelece as metas, as prioridades e mantêm os padrões... " . Drucker diz também que "o que determina se o líder tem seguidores ou apenas aproveitadores hipócritas é o fato de ele se apegar a alguns padrões básicos (usando a própria conduta como modelo), ou achar que pode prescindir desses padrões".

 

 

 

2. O líder precisa encarar a liderança com RESPONSABILIDADE - para tal o líder não pode ver a sua posição como privilégio. Os líderes eficazes raramente são permissivos com eles mesmos. Isto é, quando as coisas vão mal, eles não culpam os outros.

 

Quando o líder tem essa postura de responsabilidade, ele não teme a força dos seus colegas e subordinados, porque tanto no sucesso da equipe quanto no fracasso, ele sempre considerará que de alguma forma esteve inserido naquela situação, mesmo que os grandes méritos pareçam dos outros. Sendo assim, os triunfos e as derrotas, jamais serão consideradas ameaças para ele. O líder é o grande incentivador da equipe.



3. Outro requisito da liderança é ganhar CONFIANÇA - se não houver isso, não há liderança, porque não haverá seguidores - e a única definição de um líder, é alguém que tem seguidores. "Para confiar num líder não é necessário gostar dele... A confiança é a convicção de que o líder age conforme o que diz. É uma crença em algo muito antiquado, chamado integridade".

 

 

 

Ficam as dicas do mestre Peter Drucker.