Por: Professor Mesquita

Foto destaque
Misturinhas

1 - Misturar alimentos no bater tudo junto em uma pasta sem cor nem gosto definido. importante deixar a criana entrar em contato com sabores variados e aprender a diferenci-los. Mesmo em uma sopa feita com vrios legumes, escolha a cada vez um que ser predominante, na cor e no sabor: cenoura, beterraba, mandioquinha etc.

2 - Nas sopas de legumes, o melhor amassar os ingredientes com o garfo, sem passar pelo liqidificador ou pela peneira, para conservar as fibras dos alimentos.

3 - Acrescente legumes cortados bem fino no omelete ou no recheio de panquecas. Eles tambm podem entrar em croquetes, almndegas e hambrgueres feitos em casa.

4 - Incremente a massa da panqueca com espinafre (bata no liquidificador 4 ovos, 500 ml de leite, 1 colher (sopa) de manteiga derretida e 1/3 de mao de espinafre cozido, espremido e picado. Junte 200 g de farinha de trigo, bata at ficar homogneo e frite em frigideira antiaderente).

5 - Yakissoba, macarro japons feito com legumes e carnes, um timo exemplo de mistura saudvel e completa que a maioria das crianas gosta de comer. Voc pode comprar pronto ou fazer uma verso em casa (use os legumes que tiver mo, massa longa e shoyu --no use sal).

6 - Inclua nas refeies comidas que a criana pode pegar com as mos: cenoura baby, tomate-cereja, espiga de milho, hortalias cortadas em palito (erva-doce, pepino).

Artes visuais

7 - Coloque os alimentos que compem a refeio separadamente no prato ou em cumbucas individuais. Eles devem ter cores e texturas diferentes. Deixe a criana se servir sozinha e provar cada uma das diferentes pores.

8 - No cozinhe demais os legumes. Quando esto crocantes, alm de serem mais interessantes visualmente, porque mantm a forma e as cores ficam mais vivas, eles so tambm muito mais saborosos.

9 - Para deixar a salada mais atraente, espalhe sobre as folhas croutons, batata-palha, ovo cozido picado, kani desfiado ou pedaos de frutas amarelas e vermelhas (para contrastar com o verde), como manga ou morango.

10 - Faa desenhos em cima do pur de batata. Nada complicado: pode ser um crculo ou uma espiral com ervilhas frescas ou congeladas. No use as enlatadas --a questo no apenas nutricional, esttica, porque as ervilhas de lata so moles demais e sua cor no to bonita.

11 - Outra idia espetar flores de brcolis japons cozidas al dente sobre o pur. Fica mais gostoso quando a prpria criana quem faz a decorao de seu prato.

12 - Cremes ou pastas de vegetais servidos sobre torradas, frutas e legumes no espetinho tambm so maneiras simples de valorizar o visual da comida.

13 - Espante o tdio da mesa variando o preparo de cada alimento: um dia sirva cru, outro em forma de bolinhos, ou refogado, cortado em rodelas, ralado etc.

14 - Brincar com a apresentao do prato no significa esconder algum tipo de alimento. Chuchu chuchu, tomate tomate, mesmo que eles sejam, por exemplo, apresentados em forma de flor.

Sem neuras

15 - Comer um processo instintivo. O organismo regula a quantidade de energia que precisa por dia; se a criana no comer nada no almoo, por exemplo, ela acabar compensando nas outras refeies. Portanto, respire fundo e e espere at seu filho ter fome.

16 - Nenhum alimento insubstituvel. Seu filho no come cenoura? Oferea abbora, mamo ou outros vegetais amarelos e alaranjados, e as fontes de vitamina A esto garantidas. E ele nem precisa comer desses alimentos todo dia, porque o organismo estoca a vitamina A.

17 - A mesma idia vale para qualquer grupo de nutrientes ou micronutrientes (vitaminas e sais minerais). O ideal equilibrar todos os grupos em uma refeio, mas no se preocupe se seu filho passar mais de um dia sem comer algum tipo de nutriente. Espere por at uma semana e provvel que ele busque naturalmente alimentos que reponham sua necessidade.

18 - A partir dos 4 ou 5 anos, normal a criana no querer tomar leite. Geneticamente, algumas populaes (como as de origem mediterrnea e africana) tm mais dificuldade de digerir o leite (por causa da lactose), mas isso no ocorre com iogurte, queijos etc. E estes ltimos podem fornecer todo a clcio e a vitamina D que a criana precisa.

19 - Comida no remdio. Qualquer pessoa pode passar a vida inteira sem tocar um bife de fgado. As necessidades normais de ferro so supridas se a criana comer protena animal e frutas regularmente --as frutas fornecem vitaminas que ajudam na absoro de ferro.

Sem chance

20 - No sirva no jantar o mesmo cardpio do almoo. Se for reaproveitar os pratos, reinvente as combinaes.

21 - No "ajude" a criana a finalizar o prato. Cada um come aquilo que est no seu prprio prato, a quantidade que achar necessria.

22 - "Raspar" o prato no uma coisa linda, obrigatria, nem necessariamente desejvel. No obrigue seu filho a isso.

23 - No faa ameaas de nenhum tipo, como dizer para seu filho que, se ele no comer, ficar doente e ter de ir ao mdico. Alis, quando a criana est doente mesmo, no a obrigue a comer. Mantenha a tranqilidade e espere at ela sentir fome (isso um sinal de que ela est se recuperando).

24 - Premiar quem come tudo tambm no uma boa prtica. comum os adultos sugerirem que a criana deve comer os legumes, por exemplo, para poder ter a sobremesa. Nenhuma parte da refeio um prmio, cada uma tem a sua funo, poro e lugar.

25 - O lanche tambm tem sua funo, mas na dose, hora e lugar certo. No compense no lanche o pouco que seu filho comeu no almoo. O mximo que vai acontecer ele ficar com mais fome at a hora do jantar e, na melhor hiptese, comer bem.

Por exemplo

26 - Crianas de 5 ou 6 anos esto na fase de estmulos primrios. Elas so atradas por cores, formas, novidades. Nessa fase, os pais podem proporcionar novas experincias gastronmicas para seus filhos, apresentando os diferentes sabores dos alimentos.

27 - Na boca, somos capazes de sentir apenas quatro gostos: doce (na ponta da lngua), salgado e cido (nas laterais) e amargo (no fundo da boca). A criana que j mastiga pode e deve entrar em contato com todos esses tipos de gosto; dessa forma, poder reconhec-los e formar um repertrio de sabores (que a mistura das sensaes gustativas com as olfativas). Quanto mais amplo for esse repertrio, maior a chance de seu filho comer (quase) tudo.

28 - A tolerncia para o gosto amargo determinada geneticamente. Por isso, no tenha medo de oferecer criana alimentos com um certo amargor, como rcula, por exemplo. Se ela tiver predisposio, maravilha; se no, tambm est timo, no insista. O importante ela conhecer o sabor, para descobrir se gosta ou no daquilo.

29 - O ambiente da refeio deve ser tranqilo, sem TV, msica e muito menos gritaria. Deixe as conversas srias e broncas para depois. Todas as refeies (lanches inclusive) devem ser feitas mesa.

30 - Sempre que possvel, faa pelo menos uma das refeies principais com seus filhos. Se o horrio de trabalho for muito complicado, tente estabelecer um dia da semana para isso, como rotina.

31 - Comida de crianas a partir de dois anos a mesma dos adultos --elas seguem os hbitos alimentares da casa. Isso significa que, se os pais no comem frutas ou verduras, os filhos seguiro o exemplo e for-los a comer salada pode ser um trabalho intil. Nesses casos, preciso rever os hbitos de toda a famlia.

32 - Leve as crianas para a cozinha. Quando elas mesmas preparam os alimentos, certamente vo querer provar o que fizeram. uma experincia ldica, prazerosa, como deve ser a relao com a comida.

33 - Ir feira com as crianas um jeito divertido de apresent-las ao mundo das frutas e verduras. E os feirantes tm tcnicas infalveis para fazer o filho do fregus provar as frutas que querem vender.

34 - Fazer o supermercado com a famlia toda um pouco mais complicado, mas vale a pena. uma boa ocasio para fazer acordos --para levar sorvete, preciso levar cenoura.

V se cola

35 - Sirva pores pequenas --at para dar oportunidade de a criana pedir mais, se quiser, porque gostou ou porque ainda est com fome.

36 - Se o seu filho diz que no gosta de um alimento que no conhece, proponha que ele prove um pedao (tem de ser pequeno mesmo) e, se no gostar, no precisa comer. D um tempo e oferea pelo menos por mais cinco vezes, em ocasies e formas de preparo diferentes.

37 - Oferea as comidas que as crianas gostam preparadas de forma mais saudvel. Por exemplo, troque a batata frita por batata cortada em cubinhos, regada com um pouco de azeite e sal e assada no forno por cerca de 40 minutos.

38 - No lugar do doce com acar refinado, oferea banana-passa --o acar da fruta pode saciar a vontade irresistvel de comer um doce.

39 - Em vez de macarro na manteiga, experimente servir a massa regada com azeite (ou, pelo menos, metade manteiga, metade azeite).

40 - Use po integral em forma de bisnaguinha ( venda em supermercados e algumas padarias) para fazer o lanche da escola. No recheio, coloque o tipo de queijo ou frio preferido pela criana e alface picada temperada com azeite.


Texto de Iara Biderman em colaborao para a Folha de So Paulo

Fontes: FABIO ANCONA LOPEZ, professor de nutrologia do departamento de pediatria da Unifesp (Universidade Federal de So Paulo) e presidente do departamento de nutrologia da Sociedade de Pediatria de So Paulo; MARIA LUIZA CTENAS, nutricionista e autora de "Crescendo com Sade" (ed. C2); BETTY KVESI MATHIAS, professora de culinria e proprietria da Escola Wilma Kvesi; RENATA BRAUNE, chef do restaurante Chef Rouge; BRANCA SISTER, autora de "Socorro, Meu filho No quer Comer" (ed. Campus Elsevier)
Agradecimento: CAROLE CREMA, chef do restaurante Wraps - Light Food & Smoothies